Com mais de 30 músicas compostas, Lucian Zardo conta um pouco de sua história
07/11/2019 00:40 em Rola na WP

Um bate papo com Lucian Zardo, músico farroupilhense que já tem cerca de 30 músicas escritas e muitos projetos para o futuro.

Conta um pouco da tua história na música, como decidiu começar a compor e chegar a ter 30 músicas já escritas.    

Quando eu tinha mais ou menos 8 anos, eu assisti na escola onde eu estudava uma banda, de alguma forma aquilo me chamou muito a atenção e acabei ganhando uma guitarra de presente dos meus pais. Fiz algumas aulas e aprendi bastante, tive algumas bandas ao longo do caminho onde toquei com diversas pessoas e obtive mais conhecimento.

Eu sempre fui muito reservado e tímido e de certa forma a música me fez ver o mundo de outras formas, a partir do momento em que eu descobri que podia criar uma melodia e escrever uma letra onde eu pudesse expor o que estava sentindo e eternizar um momento especial, isso mudou completamente a forma como eu via as coisas, é por isso que eu amo a música, provavelmente é uma das coisas mais magnificas que o ser humano já inventou.

Lucian durante gravações na K'sound Studio

Quais tuas influências para compor, e depois para reproduzir elas?

Bom, falar de influências que levam um músico a compor não é tão simples. Cada pessoa é um universo diferente, o que pode não ser nada para você para o outro pode ser tudo, cada músico tem a sua forma de fazer as coisas acontecerem, as influências musicais tem o seu papel no desenvolvimento de uma canção, mas o momento e o que está sentindo é o que mais conta.

A primeira música minha que eu gravei em estúdio foi “menina” eu lembro que na época estava ouvindo bastante Reggae então acabou saindo algo nesse estilo mais puxado para um pop, então eu chamei alguns amigos e gravamos, depois não me lembro exatamente mas acredito que eu tenha gravado Olhos Azuis onde eu fui para o lado acústico, a ideia era uma música acústica com uma pitada de Rock Gaúcho. Somos Incríveis é uma canção simples com uma levada leve que conta a história de um início de namoro. O tempo, essa é uma das minhas preferidas, todos passamos por tempos difíceis e é isso que a músicas se refere o bem mais precioso que temos é o tempo e tudo pode ficar bem no final do dia. Deixa eu cuidar de você é uma canção acústica e uma simples declaração de amor.

O processo de gravação é interessante e é uma das minhas partes preferidas, eu adoro gravar e cada música é uma experiência nova e totalmente diferente você começa com uma ideia e acaba transformando em algo totalmente diferente e se surpreende com o resultado. Eu ouvi no programa onde foi falado sobre isso, que as bandas entram em estúdio sem saberem o que querem, mas nessa parte eu discordo, quando você entra no estúdio você pode até ter toda a música pronta e ensaiada, mas sempre irão surgir ideias novas no processo de produção e vão mudar o rumo das coisas, essa é a parte divertida de tudo.

Falando de artistas eu tive as minhas fases, mas olhando para trás e pensando como um todo, na minha lista de preferências estão os Beatles, Led, AC/DC, aquela geração dos anos 80 e 90 o Guns, Bon Jovi, Red Hot, e claro os nossos artistas Brasileiros que são incríveis, Legião, Nando Reis, a geração de MPB e toda nossa tropa do Rock Gaúcho.

Como foi a aceitação do público sobre esses teus sons?

Eu não sou aquele tipo de cara que fica o tempo todo nas mídias olhando tudo o que está acontecendo, hoje em dia eu estou um pouco mais ligado eu acabei criando uma Fan Page, um canal no Youtube, e com tanta informação disponível na internet e a pressa que mundo está é difícil as pessoas pararem pra ouvir uma música inteira sendo de algum artista que nunca ouviram falar ainda mais na era do sertanejo universitário e do funk. Mas olhando no geral a aceitação foi positiva e obtive algumas críticas positivas.

E quanto a covers, tu costumas cantar também? Quais são eles?

Quando estou sozinho eu toco covers com a banda mas eu sempre prezo por colocar as músicas autorais no repertório. É interessante uma banda tributo que leva em conta a história da banda que estão tocando, mas tocar só covers acho desperdício de tempo.

Quais as dificuldades de tentar prosperar na música na região da Serra Gaúcha.

Eu vou falar de uma experiência pessoal. Eu toquei em um festival de música em a alguns anos e o que eu vi foi o pouco espaço para artistas que não tocam música tradicionalista, mas essa é a minha opinião pessoal sobre o que eu vi naquela edição especifica. Eu amo a tradição gaúcha e a musical tradicionalista, mas nesses festivais os outros estilos musicais também deveriam ser levados em conta.

Planos para o futuro, o que vem pela frente na vida musical de Lucian Zardo?

Primeiramente pretendo continuar na Lactobacilos e para esse ano ainda estou com um projeto Tributo a Ramones com a banda Commando e ano que vem um projeto que se chama Rock ao violino onde conta com um repertório vasto de canções clássicas do Rock Internacional.

Para conhecer mais do trabalho do Lucian tu podes ver no Youtube, ou seguir ele em suas redes sociais, Facebook e Instagram.

 

Curtiu? Então larga mão de ser preguiçoso e compartilha com a galera!
Se achar melhor, volte para o início do site e se liga nas WP News.
Por Jean Lemes.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!